Truques para te livrares dos pensamentos tóxicos

“Nunca vou conseguir”, “Aquele trabalho é demais para mim”, “Aquela pessoa nunca vai olhar para mim”, “Vou ficar doente”, “Nunca vou ser feliz”, “Nunca vou ficar bem…”

Os pensamentos tóxicos são tudo aquilo que nos passa pela cabeça de negativo. Eles prejudicam o nosso bem-estar psicológico e, consequentemente, físico.

Tanto podemos estar a falar de pensamentos negativos que nos vêm à mente e alteram o estado de espírito, como de pensamentos obsessivos. Mas todos nós já experimentámos uma fase em que tivemos estes pensamentos de forma recorrente. Isto vale para todos.

Os pensamentos tóxicos vão e vêm e há neles milhares de causas que nem nós próprios sabemos. O que importa não é descobri-las, mas sim evitá-los!

Por experiência própria, decidi organizar as maneiras mais eficazes de os combater, quer a nível de psicologia, quer a nível cognitivo, físico e espiritual.

Visualiza o sinal STOP

pexels-photo-147430

A técnica de visualização é muito poderosa. Quando estiveres em crise senta-se, respira calma e profundamente e visualiza na tua mente este sinal.

O teu subconsciente vai associá-lo à ideia de interrupção/paragem e atua de forma a que o teus pensamentos tenham uma contradição a respeitar… como acontece no trânsito.

Relativiza

fantasy-girl-1082212_1280

Adota este mecanismo de pensamento: “Se eu estava bem há uma hora/dia/semana, e nada mudou…então por que estou agora assim? Eu é que estou a criar filmes na minha cabeça e pensamentos que não me vão ajudar”.

Caso tenha acontecido alguma coisa, pensa de forma positiva e relativiza: podes pensar no problema que se gerou, mas NÃO te identifiques com os pensamentos que TU próprio criaste acerca dele.

Vai ao resultado: quão mau seria se isto acontecesse? Eu ia morrer, ia adoecer? Não havia volta a dar? De certeza que não é assim tão mau quanto julgas 🙂

EMDR: uma técnica psicológica quase desconhecida

head-1058432_640

Trata-se de uma estimulação bilateral que ajuda a reprogramar o teu cérebro, ligando o lado emocional ao racional e estabelecendo contacto de forma a que relativizes as coisas sem te identificares emocionalmente com elas. É uma técnica usada para curar traumas.

Podes fazê-la em casa: apenas precisas de ouvir este som com dois phones (o som a entrar pelo ouvido esquerdo e direito vai ativar os respetivos hemisférios do cérebro) Ouve aqui

Ocupa a mente com atividades cognitivas

pexels-photo.jpg

Lê coisas positivas, vê um filme ou escreve sobre o que te vai na mente: (esta é uma boa técnica de descarga emocional)

Lei da atração

consciousness-1719992_1280

Nunca te aconteceu pensares que vais ficar doente e sentires logo os sintomas? Por vezes não acabas mesmo por ficar doente? Outro exemplo é aquele jogo da caixa preta, em que tens que por lá a mão e começas a sentir arrepios de nojo porque pensas que está lá uma tarântula… e afinal é só um peluche! O que acontece é que se gerou logo uma ativação emocional e física.

Começa a pensar aquilo que queres ser: pensa que és confiante e que estás bem…às tantas, começas mesmo a viver isso e nem dás por nada! A verdade é que ao pensares tanto numa coisa, começas a acreditar no pensamento e a sê-lo. Tu és aquilo que pensas. E está provado cientificamente que o pensamento positivo é muito mais poderoso que o negativo….agora pensa :p

Lê algo positivo antes de te deitares

coffee-cup-bed-bedroom

A maneira como acordas no dia seguinte tem tudo a ver com o que levaste para o sono. Procura ler coisas positivas e verás que acordas muito melhor.

Faz exercício físico

running-573762_1280

A prática física ajuda a libertar endorfina e serotonina – substâncias produzidas pelo cérebro que promovem a sensação de bem-estar físico e psicológico.


Atenção… isto não tem efeito imediato!

Vais precisar de algum treino, persistência e muita dedicação. No início pode ser difícil mas depois, quando começares a ver resultados e, sobretudo quando o nível de ansiedade baixar, vais ver que é possível.

Boa sorte!

Não importa mostrares-lhe o quão mal estás

 

Não importa mostrares-lhe o quão mal estás, o quanto te incomoda a sua ausência, a indiferença ou frieza…

Guarda isso para ti e para a tua consciência, pois acredita, não é com a piedade dos outros que vais crescer e conquistar os teus medos, apenas com a força de vontade.

Na realidade, ao mostrares e sentires-te responsável por fazer ver o quão mal te fizeram, és tu a única pessoa prejudicada.

Sabes que muita gente confunde desapego com falta de interesse…

Quem acorda a meio da noite és tu, quem bebe as águas com açúcar és tu, quem fica com um aperto no peito és tu…e tudo para quê? Para ficares cada vez mais fria e perderes a tão bonita essência que deixaste que fosse maltratada por quem não a merecesse.

Quem passa noites em claro és tu, quem perde horas na improdutividade de pensar em algo que não tem conserto és tu… quem perde dias a recriar momentos idealistas és tu…

Quem perde, no final de contas, és tu!


Não importa se a pessoa te vê a chorar ou a gritar… na realidade é tudo mais do que em vão. Porque quem sofre és tu e o desgaste emocional, acredita, pode ter efeitos devastadoramente irreversíveis.

Na realidade e provavelmente até estás a afastar mais a pessoa…

Sabes que o reconforto emocional não está à altura de todos e a idade pouco desculpa. Na hora de ser tomada a atitude de alguém se responsabilizar, nem que seja 1% pela tua felicidade, é fácil abandonar o barco.

O responsável pela tua vida tens que ser tu, porque mesmo quando alguém assume que vai tomar conta de ti em contrato verbal, certamente que não inclui as entrelinhas dos momentos difíceis.

Nunca incutas a responsabilidade emocional em que achaste que por momentos tinha total controlo na tua felicidade. És tu quem a crias e procuras… só tu podes sair de determinada situação, por mais difícil que seja.

Mas não vai acontecer se ainda tiveres essa pedra no sapato.

Quem acaba por fica mal és tu e essas lágrimas são desperdiçadas num sentimento vazio que só te faz perder tempo.

Mas também não importa fingires que está tudo bem e mostrares que és a pessoa mais forte do mundo; ao acumulares tudo para ti… ou acabas por não conseguir voltar àquilo que eras ou acabas por prejudicar o outro com a tua estranha forma de recalcar as coisas.


Aproveita os momentos de quebra emocional para explorares os teus talentos… escreve, ouve música, educa os teus ouvidos, e, se não tiveres nenhum talento, dança como se não houvesse amanhã.

Grita do teu interior, mas grita tão alto quanto só tu possas ouvir. E grita sozinha…ou com quem te quer bem…

     … ninguém pode conhecer o ego pela infelicidade dos outros.

Sai dessa prisão emocional e desse círculo vicioso que cada vez se torna mais apertado.

Se não estás bem, procura tu mesmo o bem-estar e lembra-te que, no início, o que pode custar um milhão de lágrimas, pode transformar-se em um milhão de sorrisos.

Sabes a típica expressão do – há males que vêm por bem?
Pois nunca ela esteve tão certa!

#beingzen